equipe - Lafieco
Home / Equipe

Equipe

O LAFIECO mantém uma equipe que varia entre 10 a 15 membros, com pós-doutorandos, doutorando, mestrandos e alunos de iniciação científica. São desenvolvidos diversos projetos em diferentes níveis.

Arthur Cambler

Estagiário/aluno de Iniciação Científica

http://lattes.cnpq.br/4557344602147079
arthurbcambler@gmail.com
(11) 3091-8756

Graduado em Biologia pelo Instituto de Biociências da USP, fez o projeto de Iniciação Científica sobre o fracionamento da parede celular de cana-de-açúcar. Esse projeto despertou seu interesse pela parede celular, que agora é seu objeto de estudo.


Projeto: Estudo para a redução do processo de fracionamento da parede celular de cana-de-açúcar

O fracionamento da parede celular da cana-de-açúcar é um processo lento e dispendioso, tanto para procedimentos laboratoriais como industriais. Isso se dá devido à intrincada estrutura da parede celular que dificulta o acesso aos açúcares nela presentes. O projeto teve como objetivo encontrar um método mais curto, mas igualmente eficiente, de realizar o fracionamento em laboratório, para isso removendo algumas das etapas já existentes do fracionamento e fazendo diferentes combinações entre elas.

Bruno Flausino

Aluno de doutorado

http://lattes.cnpq.br/8709929899963626
brunoflausino@hotmail.com
(011) 30918756

Possui graduação em Licenciatura em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Campinas (2010). Durante a graduação fez iniciação científica pelo Laboratório Nacional de Luz Síncrotron, pelo Instituto de Química (Unicamp) e pelo Departamento de Biologia Vegetal (Unicamp). É mestre em genética pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2012). Atualmente é doutorando pelo programa “Internacional Biologia Celular e Molecular Vegetal” pela Universidade de São Paulo.

 

Projeto: Papel do glucano de ligação mista na formação do aerênquima em raízes de plântulas de Sorghum bicolor

 

O glucano de ligação mista (GLM) é o polissacarídeo que possui maior variação na degradação do seu conteúdo durante a formação do aerênquima em cana-de-açúcar. Em sorgo, verificaremos se esse mesmo padrão de degradação do GLM se mantém. Para isso faremos imunolocalização desse polissacarídeo (GLM) ao longo das raízes de plântulas de sorgo, local em que já encontramos o desenvolvimento do aerênquima através de prévia caracterização anatômica por cortes histológicos. Devido ao importante papel do GLM no desenvolvimento do aerênquima em raízes, encontramos os genes que codificam para as sintases e hidrolases do GLM através inferências filogenéticas. Verificamos o padrão de expressão desses genes em diversos tecidos por RT-qPCR. O projeto visa também imunolocalização dessas hidrolases e sintases específicas do GLM e análises transcritômicas por RNA-seq de diferentes segmentos das raízes de sorgo. De posse dos genes mais importantes do ponto de vista biotecnológico e do desenvolvimento do aerênquima, obteremos linhagens transgênicas de sorgo cujos fenótipos serão posteriormente caracterizados.

Bruno Viana Navarro

Aluno de Doutorado

http://lattes.cnpq.br/4978751226820421
bruno_vnavarro@usp.br
(11)30918062

Possui graduação em Bacharelado em Ciências Biológicas - Biotecnologia pela Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF) e em Licenciatura em Ciências da Natureza - Física pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense (IF-Fluminense) . Desenvolveu estágio de Iniciação Científica no Laboratório de Biologia Celular e Tecidual, na área de cultura de tecidos vegetais com ênfase em Fisiologia do desenvolvimento vegetal e Morfogênese in vitro.Atualmente é aluno de Doutorado-direto pelo Programa de Interunidades em Biotecnologia, na Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Biotecnologia Vegetal, com ênfase em Biologia Celular e Fisiologia do Desenvolvimento Vegetal, atuando principalmente nos seguintes temas: embriogênese, fisiologia, bioquímica e sinalização do desenvolvimento, morfogênese in vitro e metabolismo de carboidratos.

 

Projeto: Marcadores bioquímicos associados ao metabolismo de carboidratos durante a embriogênese zigótica e somática de Araucaria angustifolia

 

Araucaria angustifolia é uma conífera subtropical nativa do Brasil que apresenta sementes recalcitrantes, e devido a sua importância econômica, tem sido intensamente explorada ao longo dos anos, encontrando-se atualmente classificada como espécie em perigo crítico de extinção. O sistema A. angustifolia tem sido utilizado em estudos fisiológicos, bioquímicos e moleculares, numa abordagem integrativa da embriogênese zigótica e somática. Estas pesquisas tem abordado a importância e participação de diferentes sinalizadores, com destaque para os reguladores de crescimento e diferenciação, ao longo dos processos de embriogênese. Recentemente, abordagens moleculares como transcriptoma e proteoma permitiram a identificação de possíveis marcadores moleculares na embriogênese, e a sua correlação com os processos biológicos capazes de modular este processo in vitro no sistemaA. angustifolia. Neste contexto foi destacada a importância do estudo dos carboidratos como sinalizador e a sua relação com outros sinalizadores durante o processo de embriogênese neste sistema vegetal. Assim, o presente trabalho tem como objetivo investigar a participação dos carboidratos e a sua interação com as redes de sinalização de etileno, óxido nítrico (ON) e espécies reativas de oxigênio (EROs) nos processos de embriogênese zigótica e somática de A. angustifolia.

 

Carmen E. Palacios Jara

Aluna de Doutorado

http://lattes.cnpq.br/9403104487456834
cpalacios@usp.br
(11) 30917532

Bióloga formada pela Universidad Nacional Agraria La Molina (Lima - Perú) (2003) e Mestre em Ciências pelo Departamento de Botânica, do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo, na área de Recursos Econômicos Vegetais (2012). Desenvolve projetos em mudanças climáticas e plantas alimentícias focado a determinar substâncias procedentes do metabolismo primário e secundário Têm experiência na avaliação de carboidratos, lipídeos, substâncias fenólicas e ceras vegetais.



Area de atuação: Botânica econômica e Fitoquímica



Projeto: Substâncias fenólicas de sorgo (Sorghum bicolor (L.) Moench) cultivado sob estresse hídrico e atmosfera enriquecida de gás carbônico



As evidências de que ocorrerão mudanças climáticas globais, em função do aumento da concentração de gases de efeito estufa decorrentes de atividades antrópicas, têm se apresentado cada vez mais consistentes. Em consequência, não se sabe como a síntese de metabólitos secundários seria afetada sob condições de enriquecimento de CO2, nem sob a possíveis alterações nos padrões de chuvas, e tampouco sob a condição de acoplamento dos dois parâmetros climáticos. O presente projeto prevê avaliar plantas de sorgo da variedade BRS 330 em uso comercial no Brasil, em câmaras de topo aberto (OTCs). Nas plantas em crescimento, serão analisados substâncias provenientes do metabolismo secundário. Principais substâncias como, fenilpropanoides, flavonoides, taninos e ligninas, serão avaliados na planta toda de forma integrada. As análises de fenilpropanoides e flavonoides serão determinadas por CLAE-DAD-ESI/EM e ligninas por CG/EM.

Débora Pagliuso

Aluna de Doutorado

http://lattes.cnpq.br/0500454673324614
deborapagliuso@usp.br
(11) 3091-7592

Sobre: Possui graduação em Biotecnologia (2015) pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná e mestrado em Ciências com ênfase em Biotecnologia (2018) pela Universidade de São Paulo. Desenvolveu estágio de Iniciação Científica com fitorremediação de metais pesados (principalmente cromo) nas espécies Lobularia maritma (flor de mel), Jatropha curcas (pinhão manso) e Ruta graveolens (arruda) avaliando a capacidade retentora e o armazenamento in célula. Enquanto que o mestrado foi na área de fisiologia vegetal avaliando a flexibilidade da síntese de carboidratos de parede celular em relação a disponibilidade luminosa em Lemnaceae (lentilhas d´água). Atualmente é aluna de Doutorado pelo Programa de Interunidades em Biotecnologia, na Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de biotecnologia vegetal na área de fisiologia molecular, bioquímica e cultura de tecidos, atuando com biologia de sistemas para estudo da síntese de parede celular.

 

Título do projeto: O papel de apiose no metabolismo de carboidratos estruturais de Spirodela polyrhiza.

 

Resumo do projeto: O modelo vegetal Spirodela polyrhiza é uma planta aquática de crescimento estrondoso, em até 30 horas sua biomassa é duplicada! E esse crescimento atípico está relacionado com seu metabolismo de carboidratos, em especial a presença do açúcar apiose em sua parede celular (estrutura externa a célula que confere rigidez, formato e proteção ao vegetal). Sendo assim, este estudo pretende avaliar em diferentes níveis (genes, transcritos, metabólitos e carboidratos) a resposta de apiose nesse vegetal para aplicações na bioenergia e na biorefinaria. 

Palavras chave:  apiose, carboidratos de parede celular, metabolismo, lentilhas d´água e bioenergia



Eglee Silvia Gonçalves Igarashi

Técnica

http://lattes.cnpq.br/1673813612717986
e.igarashi_usp@yahoo.com.br
(11) 3091-7592

Formada em Ciências Biológicas pela Unesp São Vicente, habilitada em Gerenciamento Costeiro, em Dezembro de 2008. Técnica-Bolsista pela USP em Abril de 2009. Técnica do Laborátório de Fisiologia Vegetal da USP desde junho de 2010, responsável pelas análises de carboidratos em HPLC do Grupo de Pesquisa, atuando também na área de Gerenciamento de Laboratórios e administração de projetos.

Grayce Hellen Romim Silva

Aluna de Mestrado

http://lattes.cnpq.br/8514197934920154
grayce_hellen@hotmail.com
(11) 3091-8756

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Nove de Julho (2013). Atualmente é aluna de mestrado na Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Bioquímica, com ênfase em Biologia Molecular; atuando nos seguintes temas: cana de açúcar, etanol de segunda geração, aerênquima, parede celular, bioetanol, plasmodesmo, glicosil hidrolase.

 

Projeto: O papel da hidrolase de calose (GH 17) na formação do aerênquima da cana-de-açúcar

 

Em busca de compreender os mecanismos que ocorrem na parede celular, estudar a formação do aerênquima em raiz de cana-de-açúcar nos auxilia a tentar entender como as modificações são discorridas, como ocorrem às sinalizações para que algumas células entrem em morte celular programada e aja ação de hidrolases na parede celular, permitindo a formação do aerênquima, mas, em células adjacentes a estas não o fazem. Visando isso, compreender o papel da hidrolase que supostamente possam regular a degradação de calose (um potencial regulador da abertura do plasmodesmo que pode reduzir ou bloquear o trafego citoplasmático), é o objetivo do projeto; analisar a diversidade homeóloga da GH17 (glicosil hidrolase) e sua distribuição no tecido e a ocorrência de calose em raiz de cana-de-açúcar com formação de aerênquima.

João Pedro de Jesus Pereira

Aluno de Iniciação Científica

http://lattes.cnpq.br/5814349958529066
joao.pedrodejesuspereira@usp.br
1130917592

Graduando Bacharelado em Química Ambiental e Bacharelado em Bioquímica e Biologia Molecular pelo Instituto de Química da Universidade de São Paulo (IQ-USP) tendo iniciado os estudos no ano de 2017. Estagiário de Iniciação Científica no Laboratório de Fisiologia e Ecologia de Plantas (LAFIECO) no Instituto de Biociências no departamento de Botânica da Universidade de São Paulo (IB-USP) desde fevereiro de 2019. 


Projeto: Perfil da atividade de enzimas do metabolismo central energético para uma visão sistêmica do acúmulo de biomassa em cana-de-açúcar

Resumo: O aumento da produtividade de culturas agrícolas depende de uma compreensão holística do crescimento vegetal, resultante da ação combinada entre metabolismo, disponibilidade de água e nutrientes, programas celulares e de desenvolvimento. Estes elementos irão coletivamente conduzir o balanço entre a assimilação, alocação e uso de carbono (C) ao longo do ciclo diuturno e estágios de desenvolvimento. A atividade de enzimas representa uma informação integrada dos fatores genéticos e ambientais que afetam a expressão gênica, metabolismo e crescimento vegetal. Por este motivo, medidas de atividade enzimática fornecem informações valiosas para compreender as redes metabólicas que produzem substratos para o crescimento e acúmulo de reservas, como a sacarose em colmos de cana-de-açúcar. Ensaios acoplados e cíclicos são ferramentas extensivamente utilizadas em bioquímica para amplificar baixas concentrações do produto de uma reação, permitindo medidas altamente sensíveis da atividade enzimática. Estes ensaios possuem uma ampla gama de aplicações, desde conectar a informação de sequência de aminoácidos à função biológica e mudanças de fluxos, à geração de dados que podem ser utilizados para parametrizar e refinar modelos matemáticos de funcionamento do metabolismo. O objetivo principal desta proposta é estabelecer ensaios sensíveis de atividade enzimática para enzimas importantes do metabolismo central energético em cana-de-açúcar, uma das maiores commodities brasileiras. 

Marcos Silveira Buckeridge

Professor

http://lattes.cnpq.br/9650392075455314
msbuck@usp.br
(11) 3091-7592

Marcos Buckeridge é um pesquisador que trabalhou por 20 anos, com espécies nativas neotropicais, no Instituto de Botânica de São Paulo. Durante seu mestrado e doutorado, ele estudou polissacarídeos de parede celular de plantas e em 1995 estabeleceu uma linha de pesquisa centrada na compreensão dos mecanismos fisiológicos e celulares envolvidos no estabelecimento de plântulas de biomas tropicais, bem como o desenvolvimento de ferramentas biotecnológicas para ajudar no uso sustentável da biodiversidade. Mais de 80 publicações foram produzidas nesse período. Com a crescente importância do impacto mundial das alterações climáticas globais, o Dr. Buckeridge tornou-se pioneiro em estudos que tentam compreender como a floresta, incluindo espécies atlânticas e amazônicas, está respondendo com relação à crescente concentração de dióxido de carbono na atmosfera. Mais recentemente, seu grupo de pesquisa iniciou outro foco, visando entender como a cana de açúcar vai responder às alterações climáticas. A relevância desse estudo reside no fato da cana ser atualmente uma das mais importantes culturas no Brasil, sendo responsável pela produção de etanol como combustível. Dr. Buckeridge transferiu-se para a Universidade de São Paulo em 2006 e desde 2009 atua como diretor científico do Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do Bioetanol, CTBE, em Campinas. Ele é também coordenador do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia do Bioetanol (INCT do Bioetanol.) Foi Presidente da Sociedade Botânica de São Paulo entre 2001 e 2005 e é um dos autores líderes do próximo relatório do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC), a ser apresentado em 2014. Atualmente, Dr. Buckeridge é membro de corpo editorial dos periódicos: Trees:structure and function (Springer), Bioenergy Research (Springer), Global Change Biology Bioenergy e Australian Journal of Botany.

Mariana Brolezzi G. Latarullo

Aluna de Doutorado

http://lattes.cnpq.br/3265428003683567
mbrolezzi@usp.br
(11)3091-7349

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade de Guarulhos (2008) e mestrado em Biotecnologia pela Universidade de São Paulo (2014). Atualmente é doutoranda em Biotecnologia pela Universidade de São Paulo orientada pelo Prof. Dr. Gabriel Padilla e co-orientada pelo prof. Dr. Marcos Buckeridge. Atua na área de enzimologia direcionada para a produção de Etanol de segunda geração.


Projeto: Expressão heteróloga e caracterização de Endopoligalacturonases de origem fúngica (Aspergillus niger), vegetal (Saccharum officinarum) e bacteriana (Bacillus subtilis).

Viviane Lopes da Costa

Técnica

http://lattes.cnpq.br/9231133963640462
vivianelcosta@yahoo.com.br
30918756

Bióloga, com Mestrado e Doutorado em Botânica pelo Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo. Durante a graduação e a pós-graduação, trabalhou com crescimento, desenvolvimento e genética de algas marinhas vermelhas, obtendo experiência em cultivo sob condições ambientais controladas e técnicas de microscopia. 

 

Técnica de Laboratório no LAFIECO desde junho de 2010, auxilia no desenho experimental, implementação  e organização de cultivos e coletas de plantas, realizados nas dependências do laboratório. Tem experiência especialmente no cultivo de gramíneas como cana-de-açúcar, sorgo, Setaria viridisBrachypodium distachyon e Melinis repens (Rhynchelytrum repens). Além disso, tem experiência em germinação de sementes e crescimento de plântulas e mudas de leguminosas como jatobá, soja e outras árvores nativas, em condições controladas de cultivo, tais como alteração de regime hídrico, disponibilidade de nutrientes ou concentrações aumentadas de gás carbônico na atmosfera.  

 

Auxilia na parte experimental do laboratório, tendo experiência com protocolos de extração e dosagem de amido, fracionamento de parede celular, e protocolos de fixação e preparação de amostras para microscopia.  Gerencia o uso dos equipamentos de secagem de amostras do LAFIECO, bem como o uso do Estereomicroscópio motorizado LEICA M205 A, equipado com fluorescência e capaz de realizar imagens estáticas completamente em foco mesmo para amostras tridimensionais, vídeos, ou imagens lapso de tempo.

 

Além disso, é responsável pela inclusão e atualização das informações neste site.  


Top